Viaduto dos Açorianos será erguido por macacos hidráulicos nesta terça-feira, etapa importante na reforma estrutural

O chamado macaqueamento chegou a ser montado na segunda-feira, mas foi adiado por um problema no gerador

Entre tapumes e a cerca que limita o cachorródromo, deverão ser poucas as testemunhas de uma das etapas mais importantes da obra do Viaduto dos Açorianos, no acesso ao Centro Histórico, em Porto Alegre, nesta terça-feira (13). O chamado macaqueamento chegou a ser montado na segunda-feira (12) à tarde, mas acabou adiado por um problema no gerador.

Debaixo da estrutura, 14 macacos hidráulicos serão usados para içar o viaduto cerca de seis centímetros para a troca das placas de neoprex, estruturas de cerca de quatro centímetros de altura que absorvem o atrito da passagem dos veículos nas pistas de cima sem desgastar as vigas que passaram por reforma na parte de baixo.

— Esse material tem a função semelhante ao óleo do motor. Impede o atrito entre as peças do viaduto e evita que elas se danifiquem por desgaste — explica César Fabricio Breda, gerente de projetos da Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura.

Antes da fase de içamento, oito consoles de concreto recheados de vergalhões de aço foram construídos junto às vigas para receber os macacos. Essas estruturas, que se parecem com dentes de uma enorme peça de encaixe, ficarão como herança para içamentos no futuro, para manutenção.

Acima dos consoles, são colocados os macacos. Os consoles das extremidades recebem os macacos mais potentes, capazes de erguer 200 toneladas. Os seis outros consoles recebem dois macacos cada, capazes de erguer cem toneladas cada um. Após o içamento, é realizada a troca das placas de neoprex de alta densidade, feitos de uma combinação de borracha e chapas metálicas, capazes de suportar a pressão dos veículos sem desgaste por um período entre 25 e 40 anos.

O atrito entre a parte de cima, onde passam os veículos, e as vigas foi uma das causas do comprometimento do viaduto, que teve de ser interditado em maio de 2020 para uma reforma estrutural, atrapalhando o trânsito da região por mais de um ano. Após a manutenção, pelas próximas décadas o único desgaste na estrutura será no pavimento.

Assim que realizada a empreitada, a prefeitura dará um passo decisivo para o final da obra.

— Até aqui, tínhamos 66% da obra concluída. Com o macaqueamento, ultrapassaremos esse percentual e manteremos a previsão de entregar o viaduto para os porto-alegrenses até o final de agosto — declara o secretário municipal de Obras e Infraestrutura, Pablo Mendes Ribeiro.

A próxima etapa será uma concretagem de reforço para unir a parte superior, hoje acomodada em andaimes, às vigas construídas para suportar o peso de toda a estrutura. Posteriormente, o acesso ao interior do viaduto será fechado. Anteriormente, o espaço foi invadido por moradores de rua, e o constante uso de fogo junto às vigas foi uma das causas de dano.

Obras estruturais no Viaduto dos Açorianos

Obras estruturais no Viaduto dos AçorianosMateus Bruxel / Agencia RBS

Obras estruturais no Viaduto dos Açorianos

Obras estruturais no Viaduto dos AçorianosMateus Bruxel / Agencia RBS

Limpeza na estrutura interna realizada no início dos trabalhos

Limpeza na estrutura interna realizada no início dos trabalhos Mateus Bruxel / Agencia RBS1 / 7

Quais são os problemas estruturais do Viaduto dos Açorianos

/assets/

Importantes no amortecimento, os “aparelhos de apoio” precisam ser trocados. São peças de borracha especial (neoprene) que evitam que o concreto da parte superior e da parte inferior do encontro fique em contato.

Fonte: Gaúcha ZH

Este informação foi útil para você?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest