Equipes de alta performance: a importância de rotinas operacionais para desenvolvimento delas

A Gestão de equipes realizada através de uma rotina operacional é extremamente importante para o planejamento e controle de produção de obras. Mas, na prática o que isso significa? A gestão de equipes de alta performance nada mais é que uma gestão de pessoas, ou seja, a forma como você gere a sua equipe, alinhando os seus objetivos com os objetivos das pessoas que trabalham em conjunto com você, para que no final o resultado comum seja alcançado.

A maioria das atividades presentes na construção civil são executadas por pessoas. Por mais que seja possível visualizar a modernização e implantação da tecnologia em diversos setores da construção civil, o trabalho manual ainda é predominante.

Sendo assim, trataremos no artigo de hoje sobre a importância do treinamento das equipes, com base nos 4 pilares da gestão de obras: prazo, custo, qualidade e segurança, sendo o seu alicerce a cultura e o seu objetivo o resultado. Afinal, não adianta nada um planejamento técnico eficiente se ele não é aplicado de forma prática, não é mesmo?

Acesse também um dos nossos treinamentos com foco em Liderança, Gestão de Equipes e Produtividade e descubra os segredos por trás das grandes empresas e dos maiores líderes da construção civil! 

1. Tenha uma Rotina Operacional Organizada

Um dos pontos mais importantes é conseguir estabelecer metas junto com a sua equipe. E para isso, ter uma rotina operacional organizada é essencial. Ou seja, você engenheiro(a) como um gestor(a) da construção civil, tem o papel de gerenciar recursos, materiais, equipamentos, comunicação e pessoas.

Sendo assim, um dos objetivos principais é fazer com que as ações saiam do planejamento e aconteçam na pratica, através da sua equipe, no canteiro de obras. Mas como fazer isso? A resposta é simples: Rotina Operacional!

Faça reuniões semanais para o alinhamento de metas, prazos, feedbacks com o que precisa ser feito e como precisa ser feito. Esse é o primeiro passo para uma Gestão de Alta Performance.

2. Realize Descentralização Planejada

Um bom gestor de equipes sabe delegar funções, quando necessário. Sendo assim, estabeleça novos líderes em cada área, para que eles também sejam responsáveis por serviços específicos, dentro da sua obra. Afinal, uma pessoa só não dá conta de tudo.

Você pode dividir esse líderes gestores em mestres, técnicos e encarregados, de acordo com cada tipo de serviço, específico.

Lembre-se: Delegar não é abdicar da responsabilidade.

3. Pratique a Cultura de Aprendizagem

Conforme ilustra a imagem no início do nosso artigo, a cultura é o alicerce da construção juntamente com uma gestão que liga os 4 pilares da gestão de obras cujo objetivo é o resultado.

Sendo assim, a cultura de aprendizagem consiste em um conjunto de práticas e ações realizadas dentro de uma empresa ou grupo, para desenvolver o potencial dos colaboradores aprimorando suas habilidades em aprender coisas novas e compartilhando conhecimento entre si.

Treinamentos, congressos, atualizações em técnicas profissionais e comportamentais são extremamente importantes para o crescimento da sua equipe.

4. Conheça os 4 pilares da gestão de obras

Primeiro: o prazo. Além de cronogramas físicos com foco no gerenciamento, também se faz necessária uma rotina operacional que pode ser exercida através de reuniões de comprometimento. Ou seja, faça reuniões com a sua equipe, de preferência semanalmente, com o objetivo de comprometer com o pessoal quais são as metas da semana. Estabeleça prazos e ajuste o que deve ser executado, verificando se há algum impedimento para que essas metas sejam cumpridas.

Segundo: custo. Além do orçamento e cronograma físico-financeiro, faça um monitoramento e controle com o que está previsto no orçamento e o que foi realizado, ou seja, o que já foi gasto na obra. Através dessa rotina operacional será mais fácil você visualizar o que já foi gasto, se estava previsto e o que será necessário no futuro otimizando, dessa forma, a sua análise de valor agregado.

Terceiro: qualidade. Ou seja, a padronização dos processos. E como alcançar essa padronização de serviço considerada sinônimo de qualidade? Faça uma rotina operacional através de uma ficha de verificação de serviço, ou seja, confira se o serviço está sendo realizado no canteiro de obras da forma que foi planejado, realizando, dessa forma, um controle de qualidade na execução.

Quatro: a segurança. Fator primordial na construção civil, que deve estar presente a todo momento, de forma adequada as normas técnicas e regulamentação. Sendo assim, é importante que esse fato seja passado para a equipe rotineiramente, deixando clara a importância da segurança, os riscos presentes na obra, como preveni-los, a importância do uso de equipamentos de proteção individual e coletivo.

Conclusão

Podemos concluir que as rotinas operacionais são o ponto de conexão entre o que foi planejado e o que deve acontecer na prática. Sendo assim, ficou clara a importância da gestão da equipe, e como essa gestão pode ser desenvolvida de forma constante e eficiente através das rotinas operacionais. Agora você já sabe quais são os 4 pilares da gestão de obras, basta aplica-los!

Leia mais!

Gestão de Alta Performance na construção civil: por onde começar?

Líder de alta performance: o que fazer para se tornar um?

Este informação foi útil para você?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest