Arquitetura: tendências para 2021 e 2022, confira as principais!

Arquitetura: tendências para 2021 e 2022 que estão relacionadas com a incorporação ou valorização de ambientes, uso de materiais e cores, adoção de sistemas construtivos e emprego de elementos específicos na decoração. Essas tendências refletem comportamentos e anseios da nossa sociedade naquele determinado momento.

Eventos como a Casacor e Morar mais por menos mostram o trabalho de arquitetos e de designers de interiores que combinam essas tendências em ambientes. Feiras como a Feicon e a Exporevestir apresentam os lançamentos das marcas que podem ser aplicados nas obras para fica em dia com as novas inclinações.

Isso acontecia todos os anos, mas 2020 e 2021 têm sendo anos atípicos para a nossa sociedade em decorrência da pandemia da COVID-19, não é mesmo? Nesse contexto quais são as tendências atuais na arquitetura?

Neste post você ficará por dentro de tudo sobre Arquitetura: tendências para 2021 e 2022. Vamos falar dos reflexos da pandemia nas novas tendências e o que vêm sendo cada vez mais pedido e valorizado pelos clientes.

Conversamos com três arquitetos que contaram tudo e mostraram seus projetos pra gente. Confira!

A pandemia levou as pessoas a ficarem muito tempo dentro de casa, com isso, elas voltaram o olhar para seus lares e muitas não gostaram do que viram. Perceberam que suas casas não eram um espaço aconchegante que proporcionasse bem-estar. Elas nunca tinham notado essa situação, por ficarem pouco tempo ali, e surgiu a vontade de modificar esse espaço.

Para a arquiteta Laís Faustino, da Fauss Arquitetura e Estilo, as pessoas buscam cada vez mais a sua essencialidade. “Os ambientes devem trazer quem as pessoas são e o que elas consomem. O arquiteto precisa projetar uma arquitetura essencial que tenha coerência com o que a sociedade está vivendo, mas também com as raízes e a bagagem de vida do seu cliente”.

Esse conceito levou também à valorização do regional, da arte local e do artesanato. Um espaço que reflita a pessoa que ali vive, sua cultura e suas referências.

Esse novo olhar para nossas casas fez com que as sacadas, muitas vezes esquecidas e subutilizadas, passassem a ser um lugar valorizado e de maior permanência. Em novos projetos, a preocupação com espaços mais salubres, abertos, ventilados e iluminados também foi recorrente.

Figura 1: Varanda com grandes aberturas e muita iluminação e ventilação

Projeto: Victor Hugo Arquitetura

Outra mudança de pensamento trazida pela pandemia foi que as que as nossas necessidades podem mudar de uma hora para a outra. Por isso, a criação de espaços multifuncionais e flexíveis foi uma solicitação cada vez mais presente.

Segundo a arquiteta Larissa Martins, da Flama Arquitetura, a solicitação de uma espécie de “chapelaria da COVID”, um espaço para sapatos, roupas e bolsas que saíram na rua foi muito recorrente entre seus clientes. Elas foram criadas nas entradas de casas e apartamentos, com o aproveitamento de um espaço antes subutilizado.

Figura 2: “Chapelaria da COVID”

Projeto: Flama Arquitetura

O clássico exemplo dos espaços multifuncionais é o quarto de hóspedes que funciona também como escritório. Como podemos ver nesse projeto do escritório Flama Arquitetura.

Espaço multifuncional – Home office e quarto de hóspedes

Projeto: Flama Arquitetura

Nosso longo período dentro de casa fez com que sentíssemos falta do contato com a natureza. O que criou o que segundo o Arquiteto Victor Hugo é as maiores tendências da construção civil contemporânea, a integração e a interiorização. O que nada mais é do que a vontade de trazer o exterior e a natureza para dentro de casa.

Falamos sobre a ideia de incluir mais verde nas construções, das vantagens de se viver perto da vegetação natural, de como essa tendência se potencializou com a pandemia e as diferentes formas que isso pode ser feito em uma edificação post.

Parede verde – forma muito utilizada de trazer o verde para dentro de casa

Projeto: Victor Hugo Arquitetura

De acordo com Victor Hugo, essa tendência vai além da vegetação. Reflete também no uso de materiais naturais como pedras, madeiras e cimento queimado, de formas orgânicas de mobiliário, no uso de tons acolhedores e naturais e na utilização de tecidos que remetem ao natural, os queridinhos do momento.

Revestimentos com elementos naturais

Projeto: Victor Hugo Arquitetura

Outra tendência de mudança na nossa sociedade e que tem impacto direto na construção civil é o consumo consciente. Segundo Laís Faustino, as pessoas têm visto a obra de forma mais racional, o luxo não é mais ligado a ostentação como em outros tempos.

O consumo consciente é um dos ideais da sustentabilidade. Em nosso blog você pode ver vários posts que falam da sustentabilidade na construção civil. 4 práticas que ajudam o meio ambiente, 8 passos para aplicar a sustentabilidade na Construção Civil na prática10 dicas para sustentabilidade na construção civil e ainda o exemplo das 6 obras mais sustentáveis do Brasil.

Nossa sociedade busca espaços funcionais e que impactem o mínimo possível o meio ambiente. Além disso, a tendência é, como vimos nos artigos acima, o reuso de água, o uso de energia solar, um canteiro de obras limpo, a utilização de materiais ecologicamente sustentáveis e a preocupação com a origem dos materiais.

Para unir essas duas grandes tendências, as fábricas desenvolveram tecnologias para o desenvolvimento de materiais sustentáveis, com menor impacto ambiental, e com estética semelhante ou que remetam a elementos naturais.

Os porcelanatos que trazem a estampa e textura de materiais como cimento queimado, pedras naturais e madeira são grandes aliados para atingir esse objetivo. Com a vantagem de que são materiais menos porosos, laváveis e de fácil limpeza, preocupação que cresceu durante a pandemia.

Decoração com piso de cimento queimado

Fonte: casa.abril.com.br

O uso de materiais tecnológicos e inteligentes, que proporcionam um uso mais racional e facilitado, são também uma tendência. Como por exemplo o MDF anti-covid, vidros com proteção solar, iluminação mais eficiente e cênica e a automação residencial são inovações que vieram para ficar.

Sempre atento às tendências, o escritório Fauss Arquitetura projetou a Tecno suíte Fauss para a Casa Cor Palmas. O espaço buscou representar o afeto, a cultura e as referências da moradora.

Nas fotos podemos ver um espaço racional e multifuncional que se preocupa com as origens de quem vai morar ali. Proporciona o contato com a natureza por intermédio da varanda que possui vegetação nativa do estado, o artesanato local e a rede, que remetem a origem do tocantinense. O ambiente consegue aliar a valorização do natural e regional, sem abrir mão da tecnologia.

Valorização do uso do artesanato regional

Projeto: Fauss Arquitetura e Estilo

Uso da rede como elemento representativo da cultura tocantinense

Projeto: Fauss Arquitetura e Estilo

Aproximação da vegetação para dentro de casa

Projeto: Fauss Arquitetura e Estilo

Uso da tecnologia – tendência constante

Projeto: Fauss Arquitetura e Estilo

E você? Já conhecia essas tendências? Identificou alguma nos ambientes em que tem frequentado? Ou gostaria de incorpora-los no seu espaço? Conta pra gente o que achou aqui nos comentários e não se esqueça de curtir o post.  E fica de olho no nosso blog, o Sienge está sempre antenado em todas as tendências da construção civil.

Leia mais!

Arquitetura verde: aumentando a eficiência energética das edificações

Conheça a bioarquitetura e entenda como aplicá-la aos seus projetos

Este informação foi útil para você?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest